Power of Pride: Festival LGBTQIA+ com vencedora de Ru Paul's Drag Race anuncia nova data - Palco Pop
Música | Publicado por Camila Cascardi em 13 de abril de 2021.
Power of Pride: Festival LGBTQIA+ com vencedora de Ru Paul’s Drag Race anuncia nova data
Festival acontece no dia 12 de dezembro em São Paulo e terá sideshow oficial em Belo Horizonte no dia 10.

O POWER OF PRIDE FESTIVAL – festival que receberá nomes como a ganhadora da sétima temporada de “RuPaul’s Drag Race”, VIOLET CHACHKI, DANNY BOND, LEMON – nasceu com a missão de celebrar a comunidade LGBTQIA+ e criar oportunidades que envolvam verdadeiramente essas vidas, anunciou novas datas para as apresentações na capital paulista e na mineira, que irá sediar o sideshow oficial.

O agravamento do contágio em todo o país e às incertezas ainda geradas pela pandemia do novo coronavírus, fez com que o POWER OF PRIDE fosse adiado para para o dia 12 de dezembro, domingo, na Audio, em São Paulo. Já o sideshow oficial em Belo Horizonte acontece, agora, no dia 10 de dezembro, sexta-feira, na A Fábrica.

Por meio das redes sociais, a W+ ENTERTAINMENT, responsável pela vinda de artistas como Iggy Azalea, Melanie Martinez, Aurora e do espetáculo La La Land In Concert ao Brasil e produtora oficial do festival, garante que todas as atrações confirmadas originalmente permanecem no line-up e que os ingressos já adquiridos com antecedência permanecem válidos, sem ser necessário nenhum tipo de troca ou substituição.

Confira o pronunciamento oficial abaixo!

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por POWER OF PRIDE FESTIVAL 2021 (@powerofpridefestival)

Com um line-up plural e promovendo a união de diferentes nacionalidades e ritmos em um mesmo palco, o público poderá assistir aos shows e performances de artistas como a cantora e compositora estoniana KERLI, o cantor, compositor e pianista americano GREYSON CHANCE, a ganhadora da sétima temporada de “RuPaul’s Drag Race” VIOLET CHACHKI, a cantora alagoana DANNY BOND – uma das principais representantes do movimento trans na música brasileira, a drag queen canadense LEMON, grande favorita dos fãs na primeira temporada do “Canada’s Drag Race” e o duo paulista VENVS, formado pelo casal de namoradas Elektra e Evie Dee.

O festival irá arrecadar alimentos não perecíveis para ONGs locais que amparam pessoas LGBTs em situação de extrema vulnerabilidade. Além disso, para tornar essa comemoração do mês do orgulho ainda mais única e significativa, irá destinar uma parte dos recursos angariados com a venda dos ingressos para a CASA FLORESCER, um centro de acolhida especial para mulheres transexuais e travestis, que ajuda na reconstrução de vínculos familiares e estimula o processo de autonomia, garantindo reinserção e maior visibilidade social – elas, inclusive, farão parte do quadro de funcionários do evento, participando nos próximos meses de cursos profissionalizantes, para desenvolverem habilidades e, assim, atuarem em várias frentes, como produção geral, bar, recepção do público e etc.

SERVIÇO: POWER OF PRIDE FESTIVAL 2021

Data: 12/dezembro/2021 (Domingo);
Local: AUDIO (Av. Francisco Matarazzo, 694 – Barra Funda, São Paulo);
Ingressos aqui!

SERVIÇO: POWER OF PRIDE FESTIVAL 2021 – SIDESHOW OFICIAL EM BH FEAT. @BSURDA

Data: 10/dezembro/2021 (sexta-feira);
Local: A FÁBRICA (Av. Tereza Cristina, 295 – Prado, Belo Horizonte);
Ingressos aqui!

Saiba mais sobre os artistas!

VIOLET CHACHKI:

Violet Chachki é o verdadeiro significado de artista multifacetada: ela é drag queen, cantora, dançarina, trapezista e modelo. Após alcançar o estrelato mundial em 2015, quando ganhou a sétima temporada do reality show americano “RuPaul’s Drag Race” – que é um verdadeiro fenômeno cultural, ela não parou mais: nesse mesmo ano lançou o seu EP de estreia, “Gagged”, com 5 faixas e já entrou em turnê em todos os continentes.

No ano seguinte, participou do clipe de “All the Rage”, da cantora canadense Allie X e deslanchou de vez no mundo da moda, estrelando ao lado da atriz Sarah Paulson a campanha de outono-inverno da Prada e desfilando inúmeras vezes para a grife italiana Moschino. Já em 2019 ela foi convidada pela rapper Brooke Candy para participar do seu álbum “Sexorcism”, na música “Rim”. Com shows esgotados por onde passa, ela volta ao Brasil para mostrar no palco do Power of Pride Festival o seu espetáculo “A Lot More Me”.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Violet Chachki (@violetchachki)

KERLI:

Avant-garde e mágica são apenas algumas das características pelas quais os fãs descrevem a cantora estoniana Kerli. Dona de uma estética impecável, ela desafiou o gênero e criou um mundo musical particular. Aclamada como a exportação musical mais bem-sucedida da história da Estônia, o seu primeiro álbum, “Love Is Dead”, lançado em 2008, debutou na concorrida lista da Billboard 200 e marcou toda uma geração.

O single “Walking On Air” – principal do projeto – foi “Single of The Week” no iTunes, ultrapassando impressionantes meio milhão de downloads e foi eleita uma das melhores músicas do ano pelo renomado jornal americano New York Post, fazendo com que ela fosse convidada pelo multipremiado diretor Tim Burton para fazer parte da trilha sonora do filme “Alice no País das Maravilhas”, interpretando “Tea Party”, de sua própria autoria e “Strange”, junto da banda alemã Tokio Hotel.

Kerli obteve muito reconhecimento também com as suas composições, como “Skyscraper”, sucesso estrondoso na voz de Demi Lovato. Tendo se apresentado em festivais do porte do Lollapalooza, a relação da artista com o Brasil já é antiga, ela se apresentou em São Paulo – com ingressos esgotados – em 2013 e após 8 anos, volta para apresentar “Shadow Works”, seu segundo disco de estúdio, lançado em 2019.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Kerli (@kerlimusic)

GREYSON CHANCE:

Com apenas 22 anos de idade – e tendo mais de 10 de carreira na indústria musical, Greyson Chance é a pura definição de orgulho. O cantor, compositor e pianista americano, que acumula mais de 200 milhões de visualizações em seus vídeos no Youtube e 3 milhões de ouvintes mensais no Spotify, se tornou viral graças a um cover de “Paparazzi”, da Lady Gaga. O vídeo foi gravado em 2010, durante uma apresentação em um festival escolar e fez tanto sucesso que ele logo foi considerado um popstar, sendo eleito no ano seguinte pela Billboard como um dos astros, com menos de 21 anos, mais bem sucedidos na música. O primeiro álbum, “Hold On ‘Till The Night”, foi lançado nesse mesmo ano pela gravadora Eleveneleven Records, fundada pela apresentadora Ellen DeGeneres – uma das maiores apoiadoras do seu talento.

Depois de um longo processo de amadurecimento e autoconhecimento, Greyson decidiu se assumir publicamente gay e assim, lançar o seu segundo trabalho de estúdio, intitulado “portraits”, que segundo suas palavras, se tratava da sua verdadeira estreia, já que era a primeira vez que ele se sentia seguro o suficiente para se expressar através de uma obra completa. Tendo passado inúmeras vezes pela América do Norte, Ásia e Europa com as suas turnês, Greyson Chance se prepara agora para lançar o seu terceiro disco. Além disso, ele foi convidado pela Disney para dar voz a “Athlete”, música que faz parte da trilha-sonora da série “Love, Victor”, sucesso de audiência na plataforma de streaming Hulu.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Greyson Chance (@greysonchance)

DANNY BOND:

Nascida na favela do Bolão, periferia de Maceió, a alagoana Danny Bond é, hoje, uma das principais representantes do movimento Trans da Música Brasileira e a personificação da força da mulher preta nordestina. Ficou conhecida como “Rainha do Jacintinho”, periferia onde morou. Seus plays nas plataformas digitais superaram a marca de 15 milhões, tornando-a destaque nos principais veículos de música, além de possuir inserção em grandes playlists das plataformas, sendo, também, curadora. Foi a primeira artista LGBTQIA+ a participar do quadro “Acústicos do Sofá” do TIDAL, sendo a edição que teve maior engajamento com destaque na home da plataforma e estampando a capa da playlist “Orgulho Colorido”.

Reconhecida como uma das principais porta-vozes dos direitos LGBTQIA+, Danny foi uma das primeiras embaixadoras do projeto “As Vozes do Funk LGBTQIA+”, em parceria com sua distribuidora OneRPM e o Instagram Brasil. Sendo a primeira artista transexual a conquistar o primeiro lugar de vendas no iTunes Brasil com a música “Traz o B”, cujo clipe acumulou mais de 150 mil visualizações no YouTube (plataforma onde possui mais de 8,5 milhões de views) em 10 dias após seu lançamento, Danny vem conquistando o país com seu carisma, bom humor e representatividade. Transitando entre o brega funk, o hip hop e ritmos regionais, ela lançou o seu primeiro disco, “Épica”, em 2017 e cantou para mais de 1 milhão de pessoas no Carnaval de São Paulo, em 2019.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Danny Bond 👸🏾 (@danny.bond)

LEMON:

Nascida e criada em Toronto, Lemon foi uma das favoritas à coroa da primeira edição do “Canada’s Drag Race”, franquia canadense do reality show “RuPaul’s Drag Race”, que estreou em julho deste ano. Ela acabou não ganhando, mas terminou a temporada como a grande favorita dos fãs.

Além de drag queen, ela é dançarina profissional, tendo se formado em balé e dança moderna na prestigiada Alvin Ailey School, na cidade de Nova Iorque. Tendo se apresentado na passarela do New York Fashion Week, ao lado de nomes como Christina Aguilera, Sasha Velour e Shea Couleé, ela faz agora a sua estreia nos palcos brasileiros, prometendo uma performance cheia de personalidade e carisma.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por lemon (@lemongivesyoulife)

VENVUS:

As paulistas Elektra e Evie Dee formam o duo VENVS, um casal inspirador e artístico, que defende com unhas e dentes a igualdade e o amor de todas as formas. Elas se conheceram na gravação do clipe de “Se Pensar”, da época que Elektra ainda cantava em carreira solo e desde esse primeiro encontro, nunca mais se separaram. Uniram o amor que uma tem pela outra a paixão mútua pela música.

O EP homônimo de estreia foi lançado esse ano e os vídeos das faixas já contam com mais de 3 milhões de visualizações no YouTube, já o primeiro disco de estúdio, “Sinergia”, saiu em 28 de agosto e conta com 9 faixas inéditas.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por VENVS (VENUS) (@venvsoficial)

Deixe um comentário

*

Direitos reservados. Desenvolvido por Lucas Mantoani.