Colunas | Publicado por Rafael Martins em 18 de julho de 2019.
As Bandas Que Ouvi Por Aí: Garanto que você também vai se apaixonar pelo DeLuca

Conhecer bandas novas ou mesmo um artista solo, que realmente nos faça ficar envoltos em suas histórias, pode ser uma tarefa difícil em meio a tantas informações. Porém, estamos aqui para te ajudar nessa missão! Toda semana apresentaremos a vocês diferentes artistas do cenário independente que assim como nós vocês precisam ouvir. Hoje vamos falar da cantor e compositor DeLuca.

Ninguém tem dúvidas de que a música é uma das formas de expressão mais universais que existem. E nos dias de hoje, ela tem ficado cada dia mais democráticas. E hoje, nós queremos apresentar a vocês DeLuca.

 

DeLuca é um jovem de 21 anos de São Gonçalo, Rio de Janeiro, formado em Publicidade e Propaganda. Após concluir sua graduação, ele decidiu dar vazão ao sonho de infância: “A coisa mais assertiva sobre a música que eu faço é que ela é um reflexo do que eu vivo e sinto. Bem piegas mesmo. eu não sou uma pessoa tímida, mas bem retraída. Através da minha música é como eu me expresso melhor.” Explica. “Queria poder dizer alguma coisa legal tipo: Já pulei de paraquedas, escalei o Everest, mas é isso. Eu sou só um garoto da região metropolitana do Rio tentando tirar algo disso tudo.”

Quando a música apareceu na sua vida?

“Eu era bem novo, foi bem cedo. Eu costumava cantar com o rádio, passava o dia inteiro fazendo isso. Mas meus pais nunca investiram em mim porque não tinham condições. Cheguei a gravar duas demos quando tinha uns oito anos de idade. Alguns anos depois, comecei a compor minhas próprias músicas. E há uns três anos, a produzir. No geral, música é algo que sempre existiu na minha vida.”

Como você definiria seu estilo musical? E quais as suas inspirações?

“Definitivamente pop e R&B. Na realidade, eu gosto de ouvir de tudo e buscar inspiração em diferentes referências. Eu amo Mariah Carey, The Weeknd, SZA, Lorde, Jaloo, Emicida, Marisa Monte. Não me atenho a nenhum gênero. Acredito muito naquilo de que música é universal.”

Como um artista independente, como é o seu processo de produzir e lançar música?

“Eu costumo dizer que não é fácil, porque eu faço todo o trabalho sozinho. Seria diferente se eu tivesse uma equipe inteira pensando na melhor estratégia de lançamento enquanto eu componho. Ou se trabalhasse com algum produtor, enquanto alguém cria o conceito de um clipe. Sou muito perfeccionista, então é muito difícil que eu esteja 100% satisfeito com algo que eu faça. Produzir foi algo que eu aprendi por necessidade. É trabalhoso, mas eu não posso reclamar. No final das contas, é muito satisfatório quando pessoas completamente aleatórias ouvem e dão feedback. Eu me sinto muito, muito realizado.”


 Vimos que você foi notado pelo Pablo Bispo, um dos principais compositores da música pop nacional. Como isso aconteceu?

“O Pablo é, sem pensar duas vezes, uma das minhas principais referências como compositor. Eu o admiro e respeito muito. Conversei com ele, sobre minha música “Sem Tempo”, e foi muito legal a resposta positiva que eu recebi dele.”

 Você acabou de lançar seu primeiro EP. Poderia falar mais sobre?

“Eu tô nervoso, muito nervoso. Fico bobo quando penso sobre tudo que rolou até hoje. O EP tem sete faixas, com quatro músicas inéditas, e ele deixa bem claro todas as minhas referências. Fiz tudo em 3 meses. é sobre se apaixonar pela primeira vez, sofrer pela primeira vez por um amor, sobre ser jovem, sobre perder a linha pela pessoa que você gosta. Sinceramente, é muito bem fechadinho. O nome é “Como Era, Como é Agora”. É uma junção de R&B, pop, hip-hop, música dos anos 80 e até sertanejo universitário. Até agora, eu só tinha um monte de ideias confusas na minha mente, mas é isso.

Você é distribuido pela OneRpm, que está por trás de grandes nomes do mercado como Glória Groove e Gustavo Mioto. Poderia falar sobre como aconteceu esse contato e quais as expectativas do que isso irá trazer para sua carreira?

“Eles são uma plataforma bem assertiva e desde o começo me deram todo suporte que eu precisei. Minhas expectativas são as mesmas de todo artista iniciante: alcançar um público legal, despertar interesse das pessoas, compartilhar as músicas que eu tenho guardadas no meu HD há muito tempo. Pretendo começar a me apresentar em breve. Tô preparando bastante material. Espero poder contar com eles ainda mais.”

Legal! E até onde você acha que sua musica pode te levar?

“Sinceramente? Não consigo imaginar. O que eu sei é que eu tenho muita vontade de ouvir minha música no rádio, ver outras pessoas cantando as minhas canções e também adoraria colaborar com outros artistas, principalmente os meus preferidos. Eu adoro pensar grande, mas prefiro manter meus pés no chão. Eu costumava ter medo do primeiro passo e agora que eu dei, estou focando em me manter na rota. Quero muito chegar em outros estados e quem sabe em outros países? Eu não sei. Tenho essa plataforma nas mãos e tento usar do jeito certo.”

Bom, tem mais alguma coisa que você queira nos dizer?

“Ouçam “James Dean” de fones de ouvido e prestando atenção em todos os detalhes. Obrigado pelo espaço. ❤”

Não há de quê, DeLuca! Adoramos falar com você e esperamos te ver muito mais por aqui e em outros lugares ❤ 

Ouça “Como Era, Como É Agora” abaixo:

 

Direitos reservados. Desenvolvido por Lucas Mantoani.