Música | Publicado por Karine Monteiro em 10 de janeiro de 2019.
Anavitória: o sucesso na música e os novos negócios

O duo Anavitória é um dos grandes sucessos da geração Pop MBP e de projetos voltados a música. Ao lado de Felipe Simas, empresário e sócio da dupla formada por Ana Caetano e Vitória Falcão, lançou um filme, criou um festival e se prepara para licenciar sua marca de produtos. O tempo de Anavitória é realmente agora.

Ao longo de três anos de carreira, as artistas já têm um Grammy Latino, tocam em rádios de todo o país, fizeram turnê com o Nando Reis e parceria com diversos músicos. Nos últimos seis meses, lançaram o segundo álbum, “O Tempo É Agora”, e o filme “Ana e Vitória” estreou no cinema e na Netflix.

Anavitória lança festival “Nave”.

Recentemente, a dupla anunciou o seu mais novo produto: o festival Nave.  O nome vem da alusão a dupla como nave-mãe da nova geração Pop emepebista e as iniciais AV, vindas do nome das cantoras que compõem o duo.

O festival irá rolar no dia 31 de março, no Espaço das Américas, com o line-up formado por Vitor Kley e as bandas e as bandas Melim, Lagum, OutroEu e Hotelo, com participações de Mariana Nolasco, Manu Gavassi, Nina Fernandes, Rubel, Gabriel Elias e Ana Gabriela.

“Nave” não é o primeiro evento da dupla. Em outubro de 2017, elas fizeram um show especial de Dias das Crianças e no verão do ano passado realizaram “O Tradicional Baile de Carnaval de Anavitória”.

Anavitória em Clareiamô, música de carnaval em parceira com Saulo.

Felipe Simas disse que esse tipo de projeto é bem comum nos outros países: “É sempre bom criar projetos paralelos para respirar um pouco outros ares e viver outras coisas além da corrida agenda de shows ao longo do ano. Como elas frequentam festivais e adoram ouvir novos artistas, era natural que criassem e fossem curadoras de um festival próprio. Aliás, esse lance de ‘festival proprietário’ é algo que já existe e é até comum lá fora. A banda Slipknot leva seu festival itinerante Knotfest para várias cidades, o Foo Fighters criou o Cal Jam, Jay Z fez o Made in America, Pearl Jam montou um festival quando comemorou 20 anos de carreira, o PJ20, etc”.

Por hora, o festival está sendo realizado de forma independente, sem verbas públicas ou marcas patrocinadoras. Felipe diz que irá começar a procurar parceiras, mas prevê que a vendas dos ingressos cubra os gastos. O filme “Ana e Vitória” seguiu na mesma linha. Os recursos para a realização do longa produzido em oito meses veio de recursos próprios e parcerias com as marcas Lupo e Tim, que tiveram product placement no longa-metragem.

Tudo só foi possível, porque as cenas foram gravadas em duas locações, em apenas três semanas, durante doze horas por dia. Em entrevista para a Veja, Simas disse que “Tudo era custo. Precisávamos de uma equipe muito coesa e sem atrasos”.

Ana e Vitória: o filme.

Agora, o duo se prepara para dar o próximo passar: licenciar os seus produtos. A linha de produtos remete ao tema “tempo” do novo disco e tem sido vendida de forma experimental nos shows. Neles, é possível adquirir camisetas feitas em parceria com a Euzaria, meias com a Lupo e cadernetas. Todos com design feitos pela Bold Design.

“Pretendemos ampliar a linha de produtos disponíveis com a marca Anavitória através de licenciamentos e de uma parceria, em um breve futuro, com um grande player na área de merchandising”, diz Felipe, que também é CEO e sócio da Anavitória Artes, empresa responsável pela marca Anavitória.

“De concreto mesmo, só fazer mais música. Como gosto de dizer sempre, ‘it’s all about music’. Para existir todo o resto, precisam existir primeiro boas canções. A partir do momento em que a música chega e toca as pessoas, aí abrem-se portas e caminhos para todo tipo de vôo”, afirma.

Nós estamos torcendo muito pelos negócios de Anavitória e temos certeza que será mais um sucesso do duo. O que vocês acham? Conta pra gente!

Direitos reservados. Desenvolvido por Lucas Mantoani.