Colunas | Publicado por Beatriz Carlos em 21 de setembro de 2018.
As Bandas Que Ouvi Por Aí: O alto astral presente nos timbres e letras da banda Tereza

Conhecer bandas novas ou mesmo um artista solo, que realmente nos faça ficar envoltos em suas histórias, pode ser uma tarefa difícil em meio a tantas informações. Porém, estamos aqui para te ajudar nessa missão! Toda semana apresentaremos a vocês diferentes artistas do cenário independente que assim como nós vocês precisam ouvir. Hoje vamos falar sobre o alto astral presente nos timbres e letras da banda Tereza.

É comum os artistas da atualidade utilizarem beats e timbres eletrônicos em suas produções. Se tornou uma das principais características do mainstream misturar diferentes gêneros musicais à música eletrônica. Entretanto, a cena independente sempre ousou ao realizar tal mistura.

Grande parte das bandas independentes possuem um som inconfundível e difícil de não se apaixonar. A maioria das letras falam sobre relações amorosas que se tornam leves e descontraídas ao se unirem a timbres eletrônicos com o uso de sintetizadores e samplers.

Você se lembra da música “Sandau”?

Com clima totalmente “solar”, a música fala sobre o amor de uma forma nada óbvia, mas muito divertida. A canção ganhou um clipe feito com imagens dos músicos sobrepostas a imagens retiradas do Street View, ferramenta do Google que mostra imagens reais de cidades em diferentes lugares do mundo. A música se tornou um grande hit em 2013 e atingiu 200 mil visualizações em apenas duas após o lançamento.

Mas você sabe quem é a banda por trás desta canção?

Formada em 2009, a Tereza é uma banda de música experimental que une o indie rock com o britpop dos anos 80. O nome da banda é uma homenagem a Tereza Monnerat, considera a garota mais bonita do colégio em que os integrantes se conheceram.

A Tereza é formada pelos amigos niteroienses João Volpi no baixo, Sávio Azambuja na guitarra e teclado, Vinícius Louzada no vocal, Rodrigo Martins na bateria, e Mateus Sanches na guitarra e teclado.

Aos fãs de Hot Chip, Foster The People e Empire Of The Sun, Tereza é a banda que lhe faltava.

Assista ao clipe de “Sandau

A Tereza mudou muito desde o lançamento do seu primeiro clipe com a música “A Cidade Pega Fogo”. Inicialmente possuíam mais características voltadas para o Indie Rock, porém, com o tempo, introduziram elementos da música pop eletrônica que se tornaram uma das principais características da banda.

O Começo

Somos amigos de escola – a mesma escola da Tereza. Já tocávamos juntos em saraus, mas a coisa começou a ficar mais séria quando ganhamos o festival universitário da MTV, em 2009. A partir daí, começaram a rolar mais propostas pra shows, então começamos a pensar também em álbuns, clipes e a coisa toda.”

Em 2016 a banda participou do programa Superstar, transmitido pela Rede Globo. Apesar de não terem atingido votos suficientes para continuarem na competição, ganharam repercussão nacional após uma brincadeira feita pela cantora Daniela Mercury. A cantora que estava atuando como jurada na terceira temporada, aparentou ter tirado um cochilo durante a apresentação da banda.

Daniela afirmou ter fechado os olhos para poder ouvir e interpretar melhor a música apresentada. Entretanto, brincadeira ou não, a atitude promoveu os jovens fazendo com que milhares de pessoas comentassem sobre o ocorrido.

Qual a importância do programa na carreira de vocês?                 

“Foi legal porque chegamos em uma audiência que não seria possível pelos nossos meios. Já sabíamos que o programa não era muito o perfil da nossa banda, a nossa intenção já era mais a de divulgar o disco recém-lançado do que realmente competir.”

Vocês homenagearam o compositor e músico carioca Alexandre Kassin em uma das suas canções, a “Sonhos de Kassin”. De que forma ele influenciou a música de vocês?

“Sou fã do Kassin desde a época em que começamos. Mas a banda sempre teve um estilo muito próprio. Era legal em um sentido, porque tínhamos um direcionamento bem definido, mas por outro lado limitava um pouco sonoramente. Nessa fase mais recente, deixamos isso um pouco de lado e estamos fazendo mais o que vem à mente, de forma que a influência do Kassin emergiu naturalmente.” Conta Mateus Sanches.

Em meio a canções tristes sobre corações partidos, a Tereza fala sobre relacionamentos com bom humor e leveza. Durante as apresentações os músicos dançam, cantam e passam as melhores energias possíveis para o seu público.

banda tereza

Vocês acham que a gente tem que levar a vida assim, no humor e na leveza? De onde saiu a ideia de levar essa vibe para as canções?

“A Tereza sempre teve esse astral positivo. Não obstante, a banda é constantemente chamada de “solar”. Acho que é algo que faz parte da nossa identidade, simplesmente aconteceu de ser assim.”

Vocês fizeram uma parceria com a Jout Jout e o De Leve no último disco. Como foi trabalhar com eles?

“A Julia é uma amiga de escola, então foi bem natural. Ela gravou uma fala em ‘Não Vou Mais Ligar’ e fez uma aparição no clipe de ‘Não Sei’. Já com o De Leve, o convite foi mais formal, porque além de sermos seus fãs da época do Quinto Andar, não o conhecíamos pessoalmente. A música fala sobre Niterói, cidade nossa e do De Leve. Sua participação foi essencial.”

Já no single “Adidas” os vocais são compartilhados com Isabella Pina. Como a musicalidade de vocês se encontrou com a dela nessa canção?

Acho que o contraste dos timbres ficou bem interessante. A interpretação dela é excelente, passa credibilidade pro diálogo que a música oferece. Essa foi uma dessas músicas mais “livres” que lançamos recentemente.”

Da série dos sonhos, quais são os sonhos da Banda Tereza?  

“Hoje, gravar um terceiro disco memorável. Amanhã, descansar na sombra de uma praia tomando água de coco gelada.”

Destaque na cena do Rio de Janeiro, a banda Tereza já realizou participações especiais ao lado de artistas consagrados como Nando Reis e Nação Zumbi, além de lançar dois álbuns de estúdio (“Vem Ser Artista Aqui Fora”, de 2012, e “Pra onde você vai”, de 2014). Em 2016 lançaram o EP “Porque Você Não Vem” contendo 4 faixas, e em 2017 lançaram dois singles (“Sonhos de Kassin” e “Sonhos de Dezembro”) com timbres bem próximos uns dos outros.

A nova música de trabalho, que foi lançada a dois meses através do selo Slap Music, se chama “Adidas” e, segundo a própria banda, debate sobre as inseguranças contemporâneas, como relacionamentos, comportamento e aparências.

Ouça ao single “Adidas”:

Se vocês fossem apresentar a sua própria banda para alguém, qual seria a música que indicariam e por que?

“Pessoalmente, indicaria “Sonhos de Kassin” ou “Sandau”. Acho que ambas transmitem mais do que uma narrativa. Elas têm um espirito próprio.” Indica Mateus Sanches.

O que os fãs podem esperar de vocês nos próximos meses?

“O nosso disco está sendo produzido, mas ainda não temos nenhuma parceria confirmada. Será mais minimalista. E provavelmente um pouco mais dark. Acho que esse disco será bem a gente do começo, antes até do primeiro disco, porém mais maduro nas composições e arranjos. Também tem mais coisa de música brasileira.”

Enquanto o novo disco não sai, vocês podem continuar ouvindo e comparando as mudanças de estilo entre os álbuns e singles já lançados. Aproveita para nos dizer o que achou e qual é a sua música preferida.

Que o alto astral de vocês permaneça contagiando a todos. A Tereza é sol!

Ouça no Spotify.

 

 

 

Direitos reservados. Desenvolvido por Lucas Mantoani.